Irmandade Metálica
Gostaria de reagir a esta mensagem? Crie uma conta em poucos cliques ou inicie sessão para continuar.

Stormwind

Ir para baixo

Stormwind Empty Stormwind

Mensagem por X_Acto 18/9/2009, 23:33

Biografia
Anjos, local de veraneio ideal para encontros de 3º grau entre jovens e as loucas noites de tempo interminável, onde a música era uma companhia constante.

Três rapazes sonhadores : Fernando Monteiro – César Cabral – e Carlos Ribeiro têm a ideia de formar uma banda de Hard Rock para corresponder a uma das ocupações predilectas – o gosto pela música e de poderem um dia tocar e criar algo de original e de seu à semelhança das suas bandas preferidas.

Foram então distribuídos os cargos a desempenhar: César e Carlos seriam os guitarristas de serviço e Fernando o baterista. Mas havia que completar a formação dos STORMWIND (Nome retirado da letra de uma música dos Europe), e é então que surge João Pimentel para vocalista e Pedro Resendes para o baixo…
O alinhamento estava definido, mas a tarefa mais difícil estava ainda para vir: adquirir os instrumentos, aprender a tocar (muito importante…), criar temas originais e actuar para o público curioso mas ao mesmo tempo ansioso para ver do que os putos eram capazes.

Os Stormwind ainda não haviam feito a sua apresentação e eis que se dá a primeira mudança, Carlos Ribeiro, aquele que já havia composto os temas “Dead Zone” e “Once again”, vai viver para Lisboa e deixa desfalcado o grupo…Neste mesmo Verão, é recrutado Rui Batista, que aprendera alguns acordes de guitarra durante as suas férias no Canada. Seria ele, desde essa data o compositor musical da maioria dos temas.
Nesta nova onda surge “Sexual Activities”, aquele tema que andou de boca em boca.
Começam a surgir diversos temas em catadupa, aperfeiçoou-se “Dead Zone”, “Stormwind” (hino da banda), “Crack the party”, “Breacking the walls”, etc. , tudo ao estilo das bandas da época , tais como; KISS, Guns n’ Roses, Slaughter, Warrant, etc...

Mas uma desgraça, nunca vem só e César Ferreira acaba por sair por não conseguir acompanhar a progressão dos restantes elementos, tomando o seu lugar António Monteiro.
A estreia dos Storm, estava agendada para Julho de 1991, mas a banda decidiu esperar mais algum tempo para aperfeiçoar a sua música.

A 13 de Setembro de 1991, os Storm estreiam-se na discoteca “Xaminé” diante de uma lotação esgotadíssima por um público curioso e pronto para dar a sua opinião à primeira banda de Hard Rock da Ilha de Gonçalo Velho – Santa Maria.

O resultado foi positivo, o pessoal aderiu, vibrou e a partir daquele dia começaram a surgir contactos para futuras actuações. Após a estreia, várias foram as actuações até ao final daquele ano.

Em 1991 surgem ainda os temas “Liberdade”, “Motorcycle Girl”, “The real goodbye”, “Hard to get it”, entre outros. A banda melhora cada vez mais o seu som, enquanto vai participando em espectáculos organizados pelas bandas marienses que na altura chegaram a ser 7…

Em 1992 surge o concurso “Pop Rock” , para o qual os Stormwind gravam dois temas – “Liberdade” (cantado em português) e “Motorcycle Girl”. Foram seleccionados para o concurso entre dezenas de bandas açorianas e classificaram-se em 8º lugar num total de 21 bandas concorrentes, numa votação muito “estranha” quando até o público esperava a banda nas três primeiras posições…enfim…
Esta acabaria por ser a primeira passagem da banda por São Miguel.
A participação neste concurso resultava como um pontapé de saída para actuações como o do largo do Colégio com os Morbid Death e Wrek Age (donde sairiam depois os Classic Rage), onde o público foi muito receptivo e caloroso na recepção à banda,
Ainda em São Miguel, os Storm vão ao Festival “Julho com Rock”, um espectáculo com a presença das 10 bandas primeiro classificadas do Pop-Rock ’92 perante uma audiência estimada em 7.000 pessoas com um trânsito completamente entupido até á praia onde estava o palco…
Depois são convidados a fazer as honras da casa, abrindo a primeira noite do Festival Maré de Agosto ’92 (o mesmo aconteceria em ’93).
Um tanto nervosos mas eufóricos pela oportunidade dada em tão alto movimento musical, os Stormwind deliciaram aqueles que acreditaram neles e na sua actuação, ao lado de grandes bandas nacionais e estrangeiras.
Foi dos anos mais positivos para os Stormwind, com várias actuações na ilha e outras paragens.

Em Abril de 1993, voam para São Miguel, para gravar a sua 1ª demo nos estúdios “Caramba”, cassete esta que incluía seis temas originais “Motorcycle Girl”, “Liberdade”, “Alone”, “The Degenerated”, “The unknown song” e “Racism Sucks”. Esta cassete teve a função de dar a conhecer a banda para concertos ao vivo, o que gostavam mais de fazer…

Gravação feita, distribuição pelas rádios regionais feita, e o tema “Liberdade” e “Racism Sucks” chega aos tops da RDP e aos Tops do saudoso “Rock Station” do José Andrade.

Em Agosto do mesmo ano , vão ao Faial para a “Semana do Mar”, onde os esperava um público arrebatador e cheio de garra, capaz de alegrar qualquer banda que por lá passasse naquela noite. Este seria dos últimos concertos em 1993 , já que o baixista seguiria para a tropa no mês seguinte.
Em Novembro do mesmo ano, somos convidados para ir á Terceira actuar num Festival de São Martinho no Porto Martins…foi mais para desenferrujar os dedos ao Pedro, na altura na tropa na ilha Terceira, já que o público colaborou muito pouco com as bandas daquela noite.
No mesmo mês seguimos para São Miguel, desta vez para gravarmos para a RTP o que sairia no “Novas Ondas” que seria emitido no ano seguinte. Desta vez os temas escolhidos foram “Liberdade” e “Em português”, dois temas na língua portuguesa como mandavam as regras…(sic).

No final deste ano, deu ainda para contribuirmos para a causa contra a SIDA,(mesmo sem um elemento) num concerto organizado pelo Centro de saúde da ilha e que se destinava a angariar fundos para a campanha nacional contra a sida.
No mês de Janeiro de 1994 voltamos a actuar sem o Pedro, desta vez no Festival organizado pelos membros de todas as bandas marienses na altura – Festival “Tempestade de Janeiro”.
Em Abril, mais uma vez sem o Pedro, actuamos na Escola Domingos Rebelo, em Ponta Delgada, organizado pela Associação de Estudantes, excelente recepção diga-se…
Em Julho fomos convidados para o 1º Concerto do Novas Ondas ao Vivo, no Porto das Pipas na Terceira.
Em Setembro voltamos a actuar no 2º Concerto Novas Ondas ao Vivo fechando a primeira de duas noites, onde o público já conhecedor da banda enche a Calheta Pêro de Teive, ocupando mesmo todo o recinto e área envolvente. Este seria o último e maior concerto dos Stormwind, poderemos mesmo dizer que “fechamos com chave de ouro”.

Em Março de 1996, no Cine Pub fizemos a apresentação do CD Excedentes, gravado pelos estúdios In-Édita em Tomar, onde a faixa “Racism Sucks” foi uma das seleccionadas para essa colectânea. No mesmo dia, demos o ADEUS à banda com um concerto para os amigos e convidados…


Elementos
Voz: João Pimentel
Guitarra: César Cabral
Guitarra: Carlos Ribeiro
Baixo: Pedro Resendes
Bateria: Fernando Monteiro
X_Acto
X_Acto

Mensagens : 1353
Data de inscrição : 04/08/2009

http://portugalunderground.blogspot.com/

Ir para o topo Ir para baixo

Ir para o topo


 
Permissões neste sub-fórum
Não podes responder a tópicos